segunda-feira, 11 de abril de 2011

A ARTE DE PLANEJAR

Planejamento Pedagógico


A ARTE DE PLANEJAR

“ Entende-se por planejamento um processo de previsão de necessidades e racionalização do emprego dos meios materiais e dos recursos humanos disponíveis afim de alcançar os objetivos concretos, em prazos determinados e em etapas definidas, a partir do conhecimento e avaliação científica da situação original”.


Martinez de Oliveira


Planejar é formular uma seqüência de atividades interligadas entre si que serão trabalhadas com os educandos, a fim de auxiliá-los no processo de construção de suas habilidades e conhecimentos. É através do planejamento que organizamos nossas idéias e pensamentos, elaborando nossa rotina.
Quando planejamos uma aula conseguimos traçar novos objetivos e dar sentido a nossa prática, fica mais fácil perceber nossas falhas, modificar nossas ações e agir de forma intencional, buscando sempre o desenvolvimento integral da criança.

Planejar é imprescindível na prática docente, pois nos dá um norte, auxiliando na organização dos conteúdos e atividades que devem ser trabalhados.

Quem planeja, consegue atingir com facilidade os objetivos propostos e ensina com mais eficiência.

PLANEJAR NOS AUXILIA EM DIFERENTES ASPECTOS...

• Nos prepara para enfrentar imprevistos;
• Ajuda a dar seqüência as atividades;
• Oportuniza uma visão das necessidades das crianças;
• Dá coerência e flexibilidade à nossa ação;
• Nos auxilia na análise da situação e no mapeamento e ordenação de nossas ações;
• Possibilita o acompanhamento dos progressos e das dificuldades dos alunos;
• Permite ao professor revisar e flexibilizar as suas ações.
ESCOLHA COMO ORGANIZAR SEU PLANEJAMENTO:
PROJETOS PEDAGÓGICOS: Algumas escolas, independente da vontade do professor, trabalham com projetos pedagógicos. Esta forma de planejamento permite um aprofundamento maior sobre o tema a ser estudado, que não necessita de um períodp exato para início e término, alguns projetos podem durar o ano inteiro, outros são permanentes. Os projetos permitem maior interação dos alunos e suas famílias no processo de pesquisa e construção. Demandam conhecimento e esforço por parte do professor, que precisa avaliar de forma individual, sem parâmetros pré-determinados.
TEMA OU PALAVRA GERADORA: É parecido com o projeto, no entanto, ele surge a partir de uma palavra ou comportamento dos alunos. Pode ser definido pelo professor para suprir uma necessidade do grupo mas, geralmente, parte da área de interesse dos alunos. Apesar de valorizar a bagagem cultural da criança, pois o tema é debatido até esgotar as possibilidades, pode limitar o conteúdo que deve ser trabalhado, pois a abordagem dos temas depende do interesse do grupo.
PLANEJAMENTO POR DATAS COMEMORATIVAS: Muito comum em algumas escolas de educação infantil e ensino fundamental séries iniciais, aborda as datas comemorativas. Apesar de auxliar o aluno a se situar no tempo, valorizando acontecimentos do seu dia a dia é uma forma simplista de planejar pois o conteúdo é fragmentado, pois uma data não se relaciona com outra. Exige do professor um conhecimento sobre o tema, de forma a explicar claramente e sem enganos, o porquê de cada comemoração. É aconselhável de ser trabalhado junto a outras formas de planejamento para que seja mais completo.
LISTA DE ATIVIDADES: É comum nas escolas de educação infantil, este planejamento consiste em organizar o planejamento de acordo com as atividades da rotina da criança. Por exemplo: 2ª feira é dia de hora do conto, natação e assim por diante. A rotina é fundamental na escola, no entanto, organizar o planejamento desta forma pode descontextualizar a prática docente, pois um dia não dá sequência ao outro. Além de que, esta prática expressa a forma como a escola pensa o ensino, deixando claro uma visão assistencialista onde prevalece os cuidados e a ocupação do tempo da criança com tarefas.
PLANEJAMENTO BASEADO NOS ASPECTOS DO DESENVOLVIMENTO: Esta forma de planejar está amparada pela psicologia do desenvolvimento, onde o foco é valorizar o motor, o cognitivo, o afetivo e o social. É importante porque permite a visão do aluno como um todo, em seu aspecto integral, por outro lado, se não tomarmos cuidado, esta forma de planejar pode ignorar a realidade histórico-social. Exige do professor a percepção de que cada criança é única e se desenvolve em rítmo próprio, logo, padronizar comportamentos ou imaginar uma criança "ideal", está fora de cogitação.
O mais indicado é observar como a escola sugere a construção do planejamento, depois, avaliar se este método contempla todas as necessidades dos alunos. É provável que você tenha que flexibilizar a sua forma de construir o planejamento, permitindo aos alunos maiores chances de aprendizado.
Apesar da escola ter sua prática pedagógica registrada na sua proposta de ensino e em seu projeto Político Pedagógico, é o planejamento e a ação do grupo docente que vai confirmar ou ir contra estas ideias. Pois o planejamento é a expressão da nossa concepção pedagógica.
Bons estudos!
Márcia O. Soares
Pedagoga
Coordenadora Pedagógica

Nenhum comentário:

Postar um comentário